segunda-feira, 13 de abril de 2009

Destruindo defesas

De verdade e em verdade eu vos digo: Porquê será que sempre quando nos sentimos fortes, imponentes e subindo a ladeira daquela incrível fossa que nos víamos a algum tempo atrás SEMPRE aparece alguma coisa que consegue quebrar-nos as pernas e nos fazer sentir o mais vunerável possível?
Me senti péssima ontem, estraguei expectativas, pulei por cima e sai de nariz empinado. Na verdade achava que estava fazendo a cosai certa, pois de fato "não estou aqui para ser feita de trouxa novamente" é um fato que anda bloqueando todo e qualquer tipo de envolvimento com quem quer que seja.
"AGORA É A MINHA VEZ! VAI SER DO MEU JEITO."
Mas ontem e excepcionalmente ontem, não me senti assim com uma simples frase "vou entrar nesse blog". Não me importei de início achando que iria parecer muito forte da minha parte parecer uma pessoa totalmente "to pouco me fudendo". No entanto, arrepiei, me arrependi e pensei: eu posso estar driving this person away. Mas minha sensação de auto-defesa está tão alto e tão imposto nesses últimos 3 meses que eu não conseguia sentir nada por ninguêm e ela está sendo simplesmente quebrada por pura delicadeza e cavalheirismo. Não por simples brutalidade, grosseria e falta de interesse como eu me acostumei e adorei por 5 anos e meio. O simples fato de uma ligação no dia seguinte fez meu sangue ferver de ÓDIO e ainda menti dizendo que não estava com raiva. Shame on me.
Mas, uma ligação inexperada, no meio da Eletrofest, atendida por uma amiga desesperada atras da outra amiga, fez de fato minha cabeça ir a mil e sim liguei de volta. Rolou uma DR pelo telefone? Não sei dizer... só sei que foi UM feriado somente e eu estou escrevendo cosias nesse blog que a criatura provavelmente vai ler. To pouco me fudendo. Falo mesmo. Pronto, disse!
Estou sendo destruida pelo interesse repentino e pela timidez. Sinto que estou indo rumo a mais uma decepção, não que espero que isso aconteça, NAO QUERO que isso aconteça, mas sim que é melhor esperar pelo pior pra gente não se decepcionar tanto depois. Mais um mecanismo de auto-defesa.
O ponto mais alto foi o danado do cinema. Um simples convite, tudo bem. Mas a palavra CINEMA me arrepiou até os ossos. "Cinema é cosia de casalzinho ternura... nem rola." disse eu.
" Mas hoje tá chuvendo e tá frio e....." foi a resposta, agulhada e alfinetada resposta. Bem na ferida.PUTA QUE PARIU! Porque que eles/vocês fazem isso? e COMO eles/vocês fazem isso? Mais uma vez foi tudo por agua abaixo. Minhas idéias fortes de sobrevivencia amorosa e defesas contra um próximo otário foram destruidas, yet again.
Por favor, quem souber a resposta das perguntas acima, me respondam o mais rápido possível, pois estou à beira de entrar de cabeça nisso tudo.
Resumindo, vou abaixar a guarda e ver o que acontece. Serei eu daqui pra frente sem esperar nada mas esperando tudo ao mesmo tempo. Sou mulher e mulheres vivem de esperanças e sonhos, mesmo que ninguêm saiba ao certo se é permitido sonhar.
Aqui, não existe um sonhar sozinho.












3 comentários:

Lay Campos disse...

Dear Kerow, vá a porra do cinema.
Se não rolar aquele feeling "cinema", então amiga,chuta o balde pq não é pra ser. Eu já testei e é infalível:se ele não passar nesse tal teste desencane.hahaha
(risada - e conselho - maléficos de alguém que tá com uma crise de melancolia aguda)

Ivy

DanyZinha disse...

viiiivo me fudendo bonito, mas nao troco o prazer de se entregar por inteiro em algo que vc quer! Nao troco a defesa por se privar de curtir um cineminha grudadinhos num dia frio!
Nao ha nada como!
bjos!

Babi Freitas disse...

Gataaaam! Seu pratique o desapego nao segue as linhas padroes, mas acontece! hehehehe

E eu adooooro qnd acontece com pessoas queridas! Adooooro mesmo!

Boa sorte sempre
;)