terça-feira, 24 de novembro de 2009

Nunca ninguém explicou tão bem

'HOMEM TEM QUE SER TRATADO IGUAL CABELO!'

Num dia a gente prende, no outro solta, num dia a gente alisa, no outro enrola, dá uma cortada quando precisa, numa semana a gente amacia, na outra é só jogar de lado e ele fica ótimo!
Fala a verdade...
Cabelo dá trabalho...
Mas a mulher consegue viver careca?

--------------------------------------------------------------------------------

Só pra descontrair e dizer que os posts estão reduzidos devido à correria do fim de semestre que todos os leitores conhecem, tenho certeza!

;)

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Eu tenho mesmo que te ouvir?


... acho que não, hein!!!

Da série: frases macholinas que eu não precisava ter ouvido. Temos as duas Loiras em aventuras atrás de baladas insanas.

Platinada já totalmente final de festa, descabelada, desmaquiada, bêbada e morta de sono. Chega um Tiozão-da-Sukita (lembram do tio da Sukita, gente?!hehehe) e profere:

__ As meninas lindas aqui sozinhas!!! (Como se não fosse 6 da matina e nós estivéssemos querendo qualquer contato com seres bizarros)
__ /Sorriso amarelo e sem ânimo das duas/
__ Nossa! Mas você (=Platinada) é um chaaarme. Charmoooosa!

Loirinha dançando na pixta, era cedo e babado tava no início. Chega um gajo com pinta de Goiano-bêbado-desacostumado-com-as festas-de-Brasília:

__ Você gosta de pau ou de boceta?
__ O que você tem a ver com isso?!Oo
__ Você vai beijar uma menina na frente?
__ Não...
__ Ah, então vamos nos pegar!
__ Hum... também não!
__ Ahhh, você é sapatão!!!!


Eu tenho mesmo que te ouvir? ... Acho que não, hein!

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Eu. Você. Nós dois. E a sua namorada.

Matando aula pra ir a um show de grátis no Centro Comunitário da UnB, vulgo Peitinhos da Madonna a.J. (antes de Jesus Luz, claro!). Tamo lá de boa, na paix e tranquilidade ouvindo uma francófona soltar o gogó. De repente chega um Deuso Grego à la "Oi, moro no Olimpo!". Babei, né? Só babei mesmo porque o cachorrinho tinha dona...

Mudamos de lugar.

Tamo lá de boa, na paix e tranquilidade, olho pra trás e vejo um Loirão delícia. Ele olhou, nós olhamos de volta. De repente não mais que de repente chega uma menina, cutuca o ombro dele e lasca-lhe a beiçada... Oo

Mudamos de lugar.

Tamo lá de boa, na paix e tranquilidade, quando vejo passar um Careca show total. Pensei "agora vai!". Vai chupar o dedo, né, Bobinha!? Uma jovem o agarra.

Mudamos pela última vez de lugar.

Tamo lá de boa, na paix e nos perguntando "que porra é essa de tanto homem com namorada nesse lugar, cara?!" Quando vejo quem? Meu ex-affair! HAHA Tudo que eu precisava pra noite ficar esplendorosa. E pela graça do Divino Espírito Santo ele estava SOZINHO! (Caso contrário, eu teria me atirado no poço mais próximo!).

Continuamos lá de boa, na paix e tranquilidade, avistamos o Garoto-fumante-de-blusa-azul, ou O Petardo. Ele olha, nós olhamos de volta e pensamos "agora tem que ir!". Quando estávamos quase lá, duas moças se unem a roda do Petardo e roubam o único homem bonito, hetero e solteiro da festa.

Coincidência ou não. O destino é de uma fina irônia.



domingo, 8 de novembro de 2009

Devo?

Depois de muito tempo, venho postar no blog hj para falar de.... HOMEM! Soh que desta vez, não eh um homem qualquer, um cara que conheci um dia desses e que aprontou comigo. O cara sobre quem venho falar hj me conhece há mto tempo, 22 anos. Uma pessoa para a qual eu devo tudo que tenho, tudo que sou e tudo que eu serei um dia.

Devo. Devo? O fato dele ser meu pai lhe dá direito de falar o que bem entende, na hora que quer e, o pior, no tom que fala como se ridicularizando o outro?! A questão é dinheiro?! "Te sustento, logo faço o que quero!" ? Sustentar filho naum eh uma obrigação dos pais?! E desde quando isso lhe dá o direito de falar o que quiser, quando a mim soh me resta o direito de ficar calada?! Hierarquia de merda!

Relação complicada essa. Ora de amor, ora de ódio, oscilando entre os dois extremos de forma muito rápida, questão de segundos.

Ai chega! Naum quero mais falar.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

O reencontro

Ele foi responsável por meu ano de 2008 acabar maravilhosamente bem e pelo meu ano de 2009 começar horripilantemente mal. Há 10 meses não vejo as fuças do sujeito - ainda bem, pois a última coisa que precisava eram recaídas com um cafajestes de tal naipe.

Essa semana descobri que ele estará lá, sábado. Lá no mesmo evento - ou melhor, na edição 2009 do evento - onde nos conhecemos ano passado. Eu trabalhando - cantando - e ele trabalhando também - fazendo a cobertura do show.

É hora de testar os nervos. É aquele momento em que, nós, mulheres, somos invadidas por uma vontade absurda de ficar fabulosas. Deslumbrantes! Aquela velha vontade de que ele olhe para você e ao menos por um momento se arrependa de ter dispensado você. Aquele sentimentozinho inevitável de vingança.

Demorou, mas chegou. Finalmente ele vai ter que olhar nos meus olhos - coisa que não teve balls pra fazer quando terminou comigo. Como será tudo isso?

domingo, 1 de novembro de 2009

Too many divas

Eis que ontem, para dar uma variada, a Ruiva aqui resolveu trocar de cia. Em vez da cia. nada doce, porém super agradável de minhas queridas bloguetes, saí com um trio de arrepiar: três amigos gays. Bom, não que isso seja alguma novidade pra mim, porque amigo gay é o que não me falta, mas a balada em que fomos é que foi a atração da noite. Depois de ficarmos discutindo se iríamos a uma balada hetero, gay ou "mais ou menos gay" - como disse um deles - resolvemos democratizar e cair nesta última.

Balaio Café. Já fui lá com a Loira e a Platinada para ver uma ótima banda e a balada era alternativa sim, mas não gay. Fomos conferir o que estava rolando. Ao entrar, meu amigo profere a seguinte sentença: "aqui tem mais gay do que na Blue" (a balada gay que estava entre as candidatas da noite). E de fato, lá tinham apenas 5 heteros: eu, um casal e mais duas garotas que tiravam fotos delas mesmas fazendo chão-chão-chão. Ou seja, de "mais ou menos gay" a balada não tinha nada. Era completamente gay!

O primeiro choque foi duas lésbicas se beijando e agarrando a bunda uma da outra. Para os cuecas hetero de plantão, a turn on. Para as solteiras hetero, apenas um pensamento "isso, minhas filhas, se peguem, é bom que sobra mais homem". Pois até meu amigo bissexual ficou olhando assim admirado, pois alegou estar acostumado com homens se beijando, mas mulheres não. Logo depois começou uma pegação generalizada dos homens - uns com os outros, logicamente. Era tanto desperdício, que eu evitava ficar olhando demais in order to not cry my eyes out.

E as divas?? Ah, a quantidade de diva! Tinha uma pessoa de camisa quadriculada que rebolava mais que a diva Shakira no clipe "Hips dont lie". Mas o momento da noite, foi quando o DJ soltou "Single Ladies" da também diva Beyoncé. Out of nowhere, aproximadamente 5 divas - porém gays - formaram uma linha e começaram a fazer a coreografia do clipe. PERFEITA! Todo mundo parou pra olhar e eles tiveram seus 5 minutos de fama.

É estranho quando tudo o que você está acostumado a ver, está backwards. Nenhum homem pegando na sua cintura, passando a mão no seu cabelo ou beijando uma menina de olhos abertos enquanto escaneia o resto da festa. É estranho me chocar com um casal hetero. É estranho não querer dançar rebolando para chamar atenção dos outros. Mas o que com certeza seria mais estranho, seria não estar com meus amigos me divertindo e provando que preconceito não tá com nada!

-------------------------------------------------------------------------------------------------

Dica de vídeo pra quem quer morrer de rir com divas baianas: http://www.youtube.com/watch?v=O-VEHHtmziQ

------------------------------------------------------------------------------------------------

Obrigada, leitores, pelas 1130 visitas da semana! You guys rock!