terça-feira, 29 de setembro de 2009

Romeu ou Ricardão?

Caros leitores e leitoras deste blog: esse post será sobre a FAMOSA comparação entre os brasileiros e europeus. Será verdade mesmo que os brasileiros tem a melhor pegada, no entanto não são romanticos e não tem a mesma classe dos europeus cuja pegada teoricamente deixa a desejar?
A alguns dias começou a Oktoberfest 2009. Aqui estou eu morando na capital mundial da maior cervejada que ja existiu.
ME JOGUEI!!!!!!!!
Meninas: isso é o paraíso! Deus deve ter escrito: abençoado será o Oktoberfest! São 12 imensos galpões com homens saindo pela culatra e cerveja até no tampo! Média de 6 homens por mulher dos dias de semana, nos finais de semana a contagem sobre pra 20 pra cada.
ME JOGUEI²!!!!!!!!!!!!
Eis que vêm a questão: O homem alemão é bruto SIM. É fato que a pegada deixa a desejar, falta o tal danado MOJO latino que eles nao têm. São literalmente meia boca. No entanto, ganhei flores, chaveirinho de coração, ligações pra saber se eu cheguei bem em casa MESMO que essa pessoa nunca mais queira me ver na vida. ELES demonstram respeito pelo sexo feminino e nos tratam feito DIVAS. VERDADE e eu assino embaixo. Nem comento a PENA que isso dá!
AINDA SIM ME JOGO!!!!
O brasileiro sim: conversa fiadÍssimo até conseguir o que quer. A pegada é sensacional, mas não tem classe, não dão o nós queremos: o tratamento merecido. Não adianta negar que pegada conta muito. Um brasileiro me pagou uma cerveja, no Oktoberfest e eu já esperando que aquilo não era uma simples gentileza gratuita, no mais tardar, lá veio: "Olha.. to interessado em você e quero te beijar AGORA!"
DIZAS! Assusta né? Que que é isso? Cadê beijinho na mão? Flores? NADA....me pagou uma cerveja achando que adiantaria alguma coisa. Será que é pedir demais um pouquinho de classe?
E agora meninas do meu Brasil? Que caminho tomemos? Qual deles é a melhor pedida? Os dois juntos? Existe?
Enquanto não aparece nenhum brasileiro decente... ainda fico com os alemães. Muito obrigada.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Quem não dá assistência...

... abre pra concorrência. Perde a preferência. E tantas outras rimas que já ouvimos por aí. O fato é que é a mais pura verdade.

É impressionante como um herói pode se transformar num personagem coadjuvante quando não percebe a importância da assitência para uma mulher. Para o homem, a mulher pode passar mil anos sem procurá-lo, que quando o sujeito encontrá-la, ainda vai querer ter um xenhenhem. Para mulheres, é muito importante o contato. Afinal, para completar os ditos de hoje, "quem não é visto, não é lembrado".

Dar assistência não é grudar na pessoa e sufocá-la com seu desespero, mas simplesmente deixar claro que você está na área.

Vejam só, que meu super-herói resolveu dar uma sumidinha básica - tão típica masculina e tão rotineira na vida de uma mulher solteira (não haveria de ser diferente com ele!). No entanto, o anti-herói, sem perder tempo, faz questão de me ver toda semana, de me procurar no meio da semana e de, como quem não quer nada, dar aquela fuçada padrão no meu orkut, só para no outro dia aparecer entre os visitantes recentes.

Assistência - ou falta dela - pode fazer uma mulher mudar de idéia. Pode fazer com que ela cogite algo que jamais cogitou e esquecer planos que tinha armado para o primeiro da lista.

Dizem por aí que mulher gosta de ser ignorada. Isso é uma grande mentira. Nós gostamos de perceber o mínimo de interesse. Não precisa de nada demais. E acho que é isso que os homens ainda não perceberam: é muito fácil agradar uma mulher!

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Teoria do Caos


Já parou pra observar como o mundo é sacana?! É sempre assim: quando você está solteiro, é uma dificuldade para entrar no jogo do bole-bole, mas assim que você arranja qualquer coisa, um pretendentezinho sequer, aparecem todas as oportunidades pra você ferrar sua chance de desencalhar. É como o anjinho no sua orelha esquerda e o diabinho na direita.

Eis que todos aqui lembram da história melosa que contei do super-herói, certo? Acreditam que ontem encontrei o anti-herói?!

O que vem a ser este ser? É aquele super gato que você morre quando vê, mas sempre que vocês tem a mínima oportunidade de concretizar o business um de vocês está comprometido. Ontem, depois de um episódio e uma ligação muito odd a caminho do forró - né Loira? - ele aparece no meu território única e exclusivamente para fechar negócio. E minha gente, sabem que no forró a gente não perde venda, né? Rodopio vai, fungada no cangote vem, logo o primeiro beijo tão esperado rola.

Detalhe importante: o anti-herói e o super-herói se conhecem. Ainda não travaram nenhuma batalha, mas veja se isso tem alguma chance de dar certo! Veja se a mocinha aqui não acabou de se meter numa enrescada das grandes e correr o risco de ficar sem nenhum dos dois?!

Pois é, caros leitores, o mundo dos relacionamentos é cruel...! Não escutem o diabinho, não escutem!

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Desventuras em série


Era quinta-feira e não fui forrozear. Fomos num grupo pequeno beber no copo sujo mais querido da cidade, Piauí. Bebemos nada abusivamente. E depois de algumas brejas e o pisca-pisca incessante do bar, isso quer dizer "vazem djá", pagamos a nossa humildje conta. Eis que aquela capciosa pergunta surge:

__ Tá cedo, bora fazer alguma coisa?

A galera tava com sono, ou cansado, ou tendo que levar primas pra casa... Ok. Fomos a dupla (nada dinâmica) de loiras dar uma conferida no bar onde nossa banda favorita toca todas as quintas, fomos. Estavamos levente eufóricas, sorridentes e entretidas na própria conversa sobre a vida. Não nos lembramos exatamente sobre o quê falávamos tão avidamente, mas era um papo cabeça, insano e com um jeito meio Glauber de ser.

Compramos umas cervas e começamos a beber na porta, de repente uma série de desventuras (ou desventuras em série) se sucederam:

Desventura #1 > Loiras delirando sobre a vida morrendo de rir, chega um rapaz que devia ter um interior muito bonito porque o exterior tava um bagulho:
O Bagulho: Oi, meninas, posso entrar na conversa de vocês?
As Loiras (unívocas e uníssonas): Eeeerh, não!

alguns segundos depois...

As Loiras (ainda unívocas e uníssonas): Que pessoa doida! hahahahahaha

Desventura #2 > Loiras delirando sobre a vida, morrendo de rir ainda sobre o bagulho sem noção e constatando que se ele fosse um Brad Pitt (#xuxu) a gente teria deixado ele entrar na conversa diboa. Chega um rapaz que também devia ter um interior muito muito bonito, porque por fora... já sabe, né? Dragão.
O Dragão: Oi, meninas, vocês acreditam em signos?
Loiras: Hã? Oo
O Dragão: É, vou adivinhar o seu signo e aí você (a Loirinha aqui) conversa comigo e não vai achar que é o acaso?
Loirinha: Aham. Beleza. Adivinha então!
Loira: É, diz ae!

depois de milhões de horas pensando e chutando que eu não era de quase todos os 12 signos do horóscopo...

O Dragão: Ah, seu signo tem a letra 'e'?
Loiras (unívocas e uníssonas): HA-HA!
O Dragão: Tá, você é de capricórnio!
Loirinha: Erh, não!
O Dragão: Então você é! (para a Loira)
Loira: Nop.

Virei e fui conversar com um forrozeiro conhecido. Quando menos espero a Loira tava dando uma de Glauber com o Dragão...

Loira: Sai daqui. Você tá me censurando!
Loirinha: Ok. Momento Glauber!
Loira: Ah! Vai me prender? Vai me bater? Vai me torturar?
Loiras: HA-HA

Desventura #3 > Ainda ríamos de como a vida era bela, de como os homens são palhaço e de como a gente tava mucho locas. Chegam dois moços, milicos, bem apessoados até. Mas não estávamos no espírito empreendedor if you know what I mean... Demos umas enroladas nos milicos, insinuamos que eles tinham uma masculinidade duvidosa e resolvemos ir embora depois de incessantes investidas/abraços dos rapazes.

Chegando ao carro e a sobriedade chegando também nos demos conta que dois amigos dos rapazes, muito acoolizados por sinal, estavam nos seguindo gritando que iriamos comer pizza.

Abri a porta do meu golzinho e quando vimos os dois rapazes-perseguidores entraram pelas portas de trás. Loirona saiu do carro berrando pros boys sairem. Loirinha pegou a tranca do carro e ameaçou o rapaz que ainda insistia em ficar no meu banco de trás. Os dois outros amigos chegaram e nos ajudaram a expulsar os bêbados inconvenientes (#inconsequentes).

Dei uma ré veloz. E rolou um quase-atropelamento de um dos gajos. Rimos do quase-assassinato e depois nos demos conta do ocorrido. Loucas, mas felizes.

Ai ai... Brasília e as desventuras em série com os homens.

*Loirona é a Platinada, mudei o apelido para fins paradidáticos de fluência do texto. hehehe

domingo, 6 de setembro de 2009

O super-herói

Pra mim, ele sempre foi apenas um amigo. Nunca notei que ele tinha uma mera semelhança física com Clark Kent? Claro que sim, mas isso não me fazia pensar em ultrapassar a linha da amizade.

Um belo dia, vocês comecem a trocar e-mails inocentes - a princípio - e depois você se pega parando pra pensar "Será??". Até onde somos capazes de distinguir a diferença entre um "bom amigo" e um "amigo bom"? Afinal, se você começa a pensar em possibilidades, significa que ele reúne requisitos para um bom partido.

Ah, se reúne! Ele é bonito, inteligente, divertido, sensível e partilha dos mesmos príncipios que você. Oras, é mesmo um pecado capital esquecer que ele é um grande amigo seu e passá-lo para a lista de possíveis candidatos?

E uma simples noite sem luar, sem gente na rua, sem planos pro feriado, respondem a sua pergunta. Era só uma carona. Mas parece que tudo aconteceu tão naturalmente e certo. Foi um enrolar de mãos, dois sorrisos e um beijo. Que libertou nossos corações de quaisquer dúvidas que pudéssemos ainda ter.

E pode até parecer coisa de novela ou filme piegas, mas independentemente dos próximos capítulos, meu super-herói me salvou. Salvou meu coração de virar uma pedra de gelo e voltar a acreditar no amor. Porque ele existe e eu sei disso!

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Jesus me chicoteia!

Esses dias, sem nada pra fazer aki nesse mundo de meu Deus, a cidade chovendo e fria, resolvi ficar em casa. Aconteceu uma algo TOTALMENTE inusitado: um dito cujo ressurgiu das cinzas. Mas ele nao é um dito cujo qualquer, é o dito cujo que veio depois de um termino de namoro mais do que inusitado. LEMBRAM dele? O menino maria-mole? Poise....deixa eu contar.
Conversa vai e conversa vem, gente... o menino tá MILIONARIO! Minto..VAI FICAR! Passou num concurso publico e vai ganhar mais de 10000 conto com 19 anos. Detalhe: ele ta morando no PARA. E eu aqui jogando fora uma oportunidade dessas! PODRE DE RICO! O menino NAO precisa juntar grana e ja olhou passagem pra vir pra ALEMANHA passar uns tempos aqui comigo.
AHHHHHHHH O.O
Por que será que essas cosias acontecem desse jeito, pegando a gente de calça na mao? Eu nao to reclamando, e o convite feito foi o do tipo:
- "poiseee... to morando na capital do goró...se tu quiser tu tem cama, comida e roupa lavada e....",
- "sou meio louco! Voce falou isso mesmo?"
- " falei ué... pq?"
- " Qual cia aerea vc foi? TAP? Voce me pega no aeroporto? Porque eu tenho uns dias de folga na 2 semana de setembro dai eu rola de eu ir praí..."
DIIIZZZAAASSS!
PENSEM num coração que quase saiu pela boca. O convite foi nao foi com a intenção dele realmente vir, foi mais o comentário atoa do que um convite e no entanto OLHA no que deu! To ADORANDO! Se ele de FATO vier.... jesus me chicoteia! Fechando o diálogo:
- "Vou ver semana que vem aqui a papelada e falo cuntigo.. NAO SOME NAO GURIA porque eu nao falo alemao e eu preciso de voce! Dou garantido uns 80% de certeza que a gente vai curtir um Oktoberfest juntos".
Estranho mesmo é que a historia dele comigo. Sim, a verdadeira versão é mais longa do que parece e eu sempre tive uma quedinha forte, no entanto NADA mais do que isso. Agora to me sentindo culpada. Sera que ele acha alguma coisa? Nao quero iludir o menino de forma alguma. Estou errada em estar aceitando esse tipo de coisa? AIH jesus, acho que estou errada em me preocupar com isso.
IIIIIIIIHHHAAAAA!
QUE VENHA A OKTOBERFEST!