terça-feira, 27 de maio de 2014

Desvendando o universo masculino - tudo o que você sempre quis perguntar e nunca teve coragem - PARTE FINAL

Vamos chegando ao gran finale da nossa série de posts provenientes das entrevistas que realizei com esses 15 rapazes super legais que toparam falar abertamente sobre o comportamento sexual e amoroso deles, para o nosso deleite!

Para aqueles que vierem aqui e disserem "Mas não eram 15 perguntas? Você só pôs 12" - foram 15, mas uma ou outra era uma pergunta agregada, que eu puxava de acordo com a resposta do cara.

Então vamos ao que interessa!

1) A primeira pergunta era sobre mulher fácil. Muitos homens divergem quanto a classificar uma mulher como fácil, quais são as características que a tornam fácil (no sentido ruim da palavra mesmo). Podemos ver que muitos deles ainda são bastante machistas, mas que outros, pelo menos em tese, têm uma visão diferente.

Para o estudante CF, 26 anos, solteiro, tudo depende da sua discrição: "Mina que tá solteira e pega todos que ela quiser, tá no direito dela, mas tem que ser inteligente; eu diria elegante. Do mesmo jeito que os homens tem de ser. Não rola de sair por aí espalhando". Alguns não escondem o machismo, como o professor de educação física JR, 26 anos, solteiro: "Se der de primeira pra mim é fácil, sim. Pelo menos eu não gosto de mina muito fácil". O coordenador pedagógico MC, 27 anos, solteiro, é categórico: "Piriguete que pega todo mundo. Sou machista ainda, sei que homem também faz e tal, mas mulher acho piranha mesmo". O bancário, BP, 27 anos, enrolado, diz: "Acho que garota fácil é quem fica com todo mundo. Se ela sai ficando com todo mundo, pra mim é uma garota fácil. O mundo é machista né, e eu me incluo um pouco nisso". Apesar dessa visão extremista, ele pondera outo ponto: "Não necessariamente só porque foi "fácil" ficar com uma pessoa, ela seja fácil. Às vezes foi fácil porque ela já nutre algo por ti, e dessa forma foi mais simples". O professor de educação física, GA, 32 anos, namorando, também acha que menina que pega geral é fácil demais, mas jura que não tem nada de machismo: "Isso vale pra homem também. O cara que pega geral é um FDP, não admiro". O estudante de direito, AS, 22 anos, solteiro, tem um termômetro um pouco diferente: "Geralmente mina fácil é a que já ficou com vários do meu círculo de amizade. É o parâmetro que posso utilizar, poque são as pessoas que eu tenho contato".

Eu, particularmente, acho que isso não tem nada a ver. Se a garota é solteira e infelizmente se sentiu atraída por mais de uma pessoa do mesmo círculo de amizade, ela não deve nada a ninguém e pode ficar com quem ela quiser. Não é uma situação ideal, pode haver fofoca, ciuminho, entre outras coisas, mas não acho que a pessoa mereça ser julgada como vadia por isso. Também acho que uma mulher solteira, que não está a fim de compromisso, tem o direito de ficar com quem ela quiser. Dá para notar a diferença entre uma mulher vulgar, desesperada, e uma mulher livre, que está num momento de curtição. É muito triste sermos julgadas por essa liberdade, quando os homens tem todo o direito de fazer isso e não serem julgados por esse comportamento. Ou melhor, podemos atá de certa forma julgá-los, mas isso não é critério de eliminação e nem o torna uma pessoa necessariamente ruim.

Alguns meninos foram mais sensatos e específicos. O empresário DV, solteiro, 27 anos, ilustra bem o que eu acabei de defender ali em cima: "Se pegar geral, ela está no direito dela. Mas não é o fato dela pegar geral que a torna fácil. O que faz ela ser fácil é a forma como ela fica com os caras". O músico TJ, 31 anos, namorando, acha que ser "fácil" tem a ver com uma certa insegurança da mulher: "É uma garota sem opinião e segurança, que quer agradar sempre. Pegar geral é de boa. Cada um faz o que quer da sua vida". O tradutor SD, 28 anos, solteiro, concorda e faz uma crítica: "Mulher fácil é aquela sem respeito e amor próprio. Aquela que faz de tudo, por nada ou migalhas. Se ela quiser pegar geral tá no direito dela. Quem acha que não, é moleque. Rola, de fato, esse preconceito sem sentido". BRAVO!!

2) A próxima pergunta tem uma tênue ligação com a anterior: o que vocês REALMENTE acham de mulheres que tomam a iniciativa? Que fique claro que eu estou falando de INICIATIVA, não de abertura. Não daquele olhar, um sorrisinho. Mas de a mulher chegar no cara mesmo. Também perguntei qual era o melhor approach para não assustar o rapaz.

As opiniões foram divididas, mas a maioria gosta de mulher com atitude. O estudante CF de 26 anos acha que tem que ser simples: "Acho MUITO massa. É só chegar e conversar na manha". O músico TJ de 31 anos assina embaixo: "Acho realmente sensacional! A melhor forma é ser você mesma sempre." O professor de educação física GA diz: "Acho muito bom, realmente essa mulherada tá de parabéns. Um sorriso e ela se aproximando e puxando conversa já é ideal pra não ser vulgar. Admiro gente que sabe o que quer". O coordenador pedagógico MC, 27 anos, concorda e critica: "Acho legal. Sabem o que querem e vão atrás. Acho que na balada o melhor approach é um sorriso, e depois chega e conversa... Se algum homem se assustar com isso, não é homem". O tradutor SD, solteiro, 28 anos, adora e elogia: "Acho fantástico. Acho que o melhor jeito é sendo divertida. O foda são os caras babacas que acham que isso é vulgaridade; isso é sexy pra caramba porque mostra que a mulher é inteligente". O professor de educação física JR, 26 anos, solteiro, diz que não tem como confundir uma mulher com atitude e uma mulher vulgar: "Eu acho massa! Inclusive várias minas já tomaram a atitude de chegar em mim, o que não quer dizer que elas sejam fáceis, aliás não vejo problema algum em meninas de atitude. É difícil explicar, mas querendo ou não, você percebe quando a mina é fácil ou quando ela é atitude".

Mas como não dá para agradar a gregos e troianos, nem todos estão preparados para a "igualdade" de comportamento. Para o bancário BP, 27 anos, mulher que toma iniciativa não tem vez com ele: "Tem que ficar olhando, e sei lá, faz alguma brincadeira, algo assim. Chegar falando "oi, tudo bem" é meio esquisito, não que isso assuste, mas é meio vulgar. Tomar a iniciativa sutilmente, ir pra perto, dançar até o homem tomar o primeiro passo. Mas não acho legal mina que chega como se fosse homem: 'oi, tudo bom, e etc'". O professor de educação física FB, 27 anos, solteiro, justifica: "Eu acho legal, mas dependendo da forma que ela fizer, pode me intimidar. O melhor approach é deixar a impressão de que o cara está no controle, não pode ferir a virilidade. Se ela chegar de sola direito ao ponto, o cara se sente diminuído na sua figura masculina de conquistador, aquela coisa bem machista que fica gravada no fundo da pessoa que ela nem sabe que existe".

O empresário DV, 27 anos, solteiro, toca num ponto muito importante que deve estar na cabeça da mulher que deseja tomar a iniciativa: "Acho que elas tem muita coragem, pois se colocam em uma posição que normalmente são dos homens. Ao tomarem a iniciativa, elas saem da posição confortável que tem de dizer 'sim ou não' para quem chega, e passam a ficar na posição de receberem 'sim ou não'. Elas se arriscam. E eu acho isso muito legal. Primeiro elas tem que entender que não é porque são mulheres que sempre vão ficar com qualquer um que chegarem. Elas podem ser rejeitadas e isso é um fato". Ele também acha importante que ela chegue com humildade, ou pode acabar se estrepando: "Como quando um homem paquera, elas precisam ser simpáticas, terem uma conversa boa, um sorriso no rosto, se mostrarem interessadas no que o homem tem a dizer. Se for bonita então, dificilmente terão um não como resposta. Mas se se acharem a mais linda e gostosa do mundo, pode ser que fiquem chupando o dedo".

3) A última pergunta era sobre a relação com ex de amigo. Todas sabemos que a raça masculina é extremamente cooperativa com os amigos e que eles são muito leais (pelo menos uns com os outros, né?). Então a pergunta era a seguinte: "Ex de amigo meu pra mim é..."

A maioria esmagadora disse que não fica com ex de amigo sob nenhuma hipótese. Porém, alguns ponderaram. O estudante de direito AS, 22 anos, diz: "Se ele já tiver terminado e estiver com outra, e eu estiver muito a fim, eu falo com ele e vejo o que ele acha. Ficar sem consultá-lo, jamais". O professor de educação física FB, 27 anos, aponta as consequências: "Mesmo se ele tiver terminado e feliz com outra, fica uma parada chata. Se realmente eu for me envolver com a ex de um amigo é porque vai ser a mulher da minha vida e provavelmente a amizade vai se distanciar".

Ao contrário da maioria, o empresário DV, 27 anos, solteiro, tem outra visão: "Ela é uma mulher solteira que, se estiver interessada em mim e eu nela, não vejo problema nenhum em ficarmos juntos. Claro, desde que meu amigo não queira mais ficar com ela". O bancário BP concorda: "Só não azaro ex de amigo se ele ainda sentir algo por ela; se não, não ligo. E penso o mesmo por mim, não sinto mais nada pelas minhas ex, então quem quiser ficar com elas, pode".

Alguns foram radicais e disseram que não há a menor hipótese de ficar com ex de amigo. O coordenador pedagógico MC diz: "Pra mim, é que nem homem. Acho palha pra caramba dar em cima. Mesmo que ele já tenha terminado há tempos e esteja com outra." O músico TJ concorda plenamente: "Pra mim, é papelada alheia. Pode se jogar no meu colo que é papelada alheia, mesmo se já tiver terminado".

Para a maioria, se a pessoa for só um colega ou conhecido, não tem problema. Porém, para o tradutor SD, 28 anos, não tem conversa: "Defunto. Mesmo que já tiver terminado e feliz com outra, nada muda. Colega, conhecido, tanta faz, não rola".

Bom, gente, chegamos ao fim! Eu me diverti muito entrevistando e escrevendo os posts. Algumas respostas só atestaram o que eu já sabia, mas muitas me surpreenderam e me fizeram acreditar que ainda tem caras bacanas por aí! O machismo ainda é um grande problema e ainda vamos ter muita dor de cabeça por causa disso.
Quero agradecer de coração aos meninos que me ajudaram, espero que também tenham se divertido e que aprendam com as respostas uns dos outros.

Até a próxima, pessoal!

2 comentários:

Babi Freitas disse...

Achei muito legal a série e vale um repeteco com outras coisas, mas o principal ta aí... com enfâse no machismo na maioria das respostas. Triste. MESMO!
Mas foda-se meu namô ahazou! ahahhaha

Dayla Bandeira disse...

Adorei o post! ;)