quarta-feira, 2 de abril de 2014

Agir ou esperar por um milagre?

Que minha vida amorosa é uma piada todo mundo aqui já sabe. Agora, tudo tende a piorar quando você vai se acovardando diante de certas situações.

Desde adolescente eu era do tipo atitude. Se eu tava a fim de um cara, ele não me escapava. Não é porque eu era gostosona e poderosa, não, era simplesmente porque nada me impedia de lutar pelo o que - ou quem - eu quisesse. Se eu tava a fim de um cara, eu ia lá e falava para ele. Às vezes levava um tempo para o cara se acostumar com meu jeito doidinho de ser, mas logo ele achava original e corajoso e me dava uma chance.

Quando se é muito jovem, tudo é aventura, arriscar tudo tá valendo e nada nos amedontra muito. Eis que com a idade chegando, você adquire uma característica que, embora seja necessária em certos momentos, seja totalmente dispensável em outros. É o tal do BOM SENSO.

Oras, preferia minha coragem e ousadia, onde nada me parava para ir atrás do que eu queria.

Passei mais de um ano sem me interessar por ninguém. Aquele tempo em que todo mundo é muito mais ou menos para te tirar do seu conforto. Aquele tempo em que você "quer evitar a fadiga" e não perder tempo com qualquer um. Até que um dia, você começa a ver aquela pessoa interessante com outros olhos. Começa a cogitar a sair do seu sofá e da sua maratona de FRIENDS a fim de arriscar novamente. Informação adicional: há alguns anos atrás, você soube de fonte segura, que o gajo já havia tido interesses amorosos pela sua pessoa. Você sonda e descobre que o sujeito tem uma peguete fixa que está quase cruzando a fronteira de oficial exclusiva - porém, que ele não está apaixonado.
Você:

a) lembra de seus dias de adolescente e chega junto
b) lembra que está velha para ficar arriscando e chicken OUT (cai fora!)
c) fica com medinho da situação e peninha da outra mina e não faz PN.

Eu, a super sensata de 27 anos, fui de opções B e C, achando que tinha abalado no bom senso, não só fico triste porque o bofe começou a NAMORAR sério, mas ainda ouço da minha psicóloga que eu deveria ter aberto o jogo, afinal ele não estava apaixonado e eu não precisava ter pena da outra menina, porque ele não estando apaixonado pode ser um namorado bem mais ou menos para ela.

Só que não sei mais de nada. Quando a gente acha que está sendo sensato e correto, o mundo te diz que você deveria ser ousado e corajoso, mesmo que na hora pareça um pouco fora do eixo. E no fim você desperdiçou a oportunidade de ter algo com uma pessoa super legal porque não teve balls para agir.

Here I am again, olhando fotos dos dois no Instagram, ela lá, linda e loira do lado dele, e eu aqui ruiva e #chatiada assistindo tudo de camarote. Sabe lá Deus se terei mais um ano de paixonites zero ou se me interessarei por mais um boy magia, mas o perderei de novo em nome do maldito bom senso.

Afinal, de que adianta a suposta sabedoria dos quase-30, sem a coragem dos quase-15??



Um comentário:

Sheilla Albuquerque Ribeiro Silva disse...

Dilema esse que quase todas nós vivemos. Eu também não gosto de atrapalha o lance de ninguém, pois nao gostaria q atraplhasem o meu lance. Maa minha mãe sempre diz " o que é seu vai dr um jeito de chegar a voce" e eu acredito muito nisso. Bjus