domingo, 13 de maio de 2012

O tarado do supermercado

Às vezes eu acho que eu sou escolhida pelo universo para testar novas espécies de homens existentes no mundo, porque eu passo por cada situação cabeluda, que custo a acreditar!

Eis que esse sábado à noite, vulgo ontem, estávamos eu e uma amiga - vou chamar de Dona Louca - querendo ter uma noite light depois da sexta super badalada. Ela veio na minha casa e resolvemos que iríamos fazer um brigadeiro e fofocar. Descemos no mercado para comprar o leite condensado e aproveitei para pagar uma conta de telefone. Detalhe: desci de chinelo, short, camiseta, sem NEM UM PINGO DE MAQUIAGEM, sem brinco, com o cabelo preso e sujo. Resumindo, a mendiga em pessoa.

Estou na fila do caixa eletrônico, quando dois seres do sexo masculino aparecem e começam a flertar de leve. Quando de repente, o "de leve" começa a "subir" de nível, e um deles - que chamarei de Mr. Desesperado [para dar em cima de mim parecendo a Marinete, só podia estar desesperado!] -, pega minha conta e se oferece para pagá-la em troca de um beijo.

- Oi? Você não pode estar falando sério!

Dona Louca, como sempre, começa a botar pilha errada:

- Beija, amiga!! Vaiiii!

Eu pensando: "Esse cara bonito, cheiroso, arrumado, tá dando em cima de mim?? Cara, tem alguma coisa errada!"

Me neguei veementemente, ele continuou insistindo, até que saiu, parecendo ter desistido. Ficamos rindo uns vários minutos e descemos para pegar o leite condensado.

Não é que o indivíduo ainda tava lá?!

- Não, pára! Sábado à noite, vocês vão comprar isso? Não acredito, vocês estão de sacanagem!

E realmente, eu e ela não estávamos nos sentindo lá muito normais ficando em casa em um sábado à noite. Mas tentamos nos esquivar, ele continuou zoando.
Tentamos sair do mercado, e os dois ficaram nos cercando.

Até que o Mr. Desespero me prendeu entre os braços dele e a grade de proteção do supermercado. E simplesmente começou a me agarrar! Eu tentando sair, não porque eu não o achasse atraente ou qualquer coisa, mas porque a situação era tão TOSCA e absurda, e eu estava me sentindo tão não-sexual naquele momento, que o que me passava pela cabeça era: "não combino com você nesse momento, meu caro! Combino com o João Canabrava ou com o Tiririca!"

E por eu ter dito que em outra situação, eu agiria diferente, ele não desistiu!!
Me agarrou ali mesmo na frente do mercado, enquanto o Wing Man dele bebia uma garrafinha de leite e tentava convencer a Dona Louca a pelo menos segurar na mão dele.

A gente tenta ficar em casa e ser uma boa mocinha, se comportar, vai no mercado toda baranga e ainda assim o universo insiste em zoar com a sua cara. O que fazer?!

Loucuras da vida! Pelo menos história para contar eu tenho muitas, né?! E é por eu ser a cobaia desse mundo louco que esse blog existe!

3 comentários:

bill disse...

Kkkkkkkkk afinal.. cedeu ou fugiu do perigo?? Kkkkkkkkk

Rodrigo Maués Albuquerque disse...

Que que isso! Tá chuvendo na sua hortinha heim Dani!

Rodrigo Maués Albuquerque disse...
Este comentário foi removido pelo autor.