domingo, 21 de agosto de 2011

Ex x atual - como equilibrar os dois lados

Ontem estávamos conversando, 3 mulheres e um homem, sobre ex e atual.

Quando você termina um relacionamento, sempre tem aquele período de luto, onde você evita encontrar a pessoa, ir nos mesmos locais que costumavam ir, andar com os mesmos amigos... enfim...!

Mas uma coisa ainda não ficou clara para ninguém: qual é o momento certo de aparecer com outra pessoa na frente do (a) ex, sem parecer provocação e sem magoar a pessoa? E até que ponto é justo com o (a) atual ficar fugindo de aparecer juntos na frente do (a) ex? Qual é a linha tênue entre o respeito e o excesso de cuidado?

O homem que se encontrava entre nós no meio da discussão contou que mesmo após um ano do término do namoro não gostava de aparecer com ninguém extra-oficial na frente da ex, porque tinha certeza que ela ainda gostava dele e por isso não queria magoá-la. A atual disse que se sentia ofendida, quando ainda não era oficial, de ter que fugir de encontrar a ex do rapaz.

Em contrapartida, eu contei que quando vi pela primeira vez meu ex com a atual, fiquei chateada, sim. Entretanto, foi o ponto crucial para que eu superasse de uma vez por todas o fim dramático do meu último relacionamento.

Às vezes o ex precisa do elemento choque para finalmente aceitar que não tem mais volta. Mulher, principalmente, se agarra a qualquer fio de esperança quando ainda gosta do ex. Se ele não aparece com ninguém novo e alimenta esse cuidado excessivo, acende a pequena chama da esperança de uma volta, que na verdade nem existe.

Explicamos para ele que, não, ele não estava sendo cafajeste, mas de certa forma estava evitando que ela superasse o fim do namoro, alimentando uma esperança de que havia volta e ao mesmo tempo ofendendo a atual, que nada tinha a ver com o último relacionamento.

É difícil entender a cabeça de cada um e definir o tempo certo. Afinal de contas, cada pessoa reage de forma diferente e não tem como prever. Só precisamos tomar cuidado com excessos e faltas. É impossível que ninguém sofra no fim de um relacionamento. É lógico que não precisamos tripudiar em cima do ex, mas antes deixar claro para a pessoa de que não há esperanças, do que arriscar um novo amor em nome de alguém que não faz mais parte de nossa vida.

Como equilibrar é complicado!

4 comentários:

Luana Polónia disse...

ahaha! conheço esse casal... Mas é complicado. Meu ex foi me ver com o atual exatamente no primeiro ano de namoro. Foi complicado pq foi ocasional. Não estava esperando e me senti muito confusa.. anyway! Foi melhor, pq acho que ele superou bem e ainda arrumou uma namorada de responsa!!

Babi Freitas disse...

Bem... como diria o rapaz em questão "Acho justo."
Ter o equilibrio é o ideal ao final de um término, mas na maioria das vezes praticamente impossível!!!
Gostaria de ter sido/tido um bom ex como ele foi/é!
Mas exagero tanto pro cuidado quanto pro foda-se é ruim ainda mais se o objetivo final é que a pessoa fique bem!
Cada um supera um término de um jeito, alguns vendo o ex com outra (o), outros se apaixonando novamente... Vai saber, né?

O que não pode nessa hora do cuidado é aparentar arrogância! Ninguém merece homem que acha que a ex- ainda morre por ele, ninguém é insubstituível ou tão importante assim!

;)

Ivy disse...

Bem pontual esse post na minha vida...Acabei de terminar mais uma vez meu namoro de 1 ano e 4 meses de muitas idas e vinda muito rápidas, inclusive.Dessa vez parece que é para valer, fui eu quem tomei a decisão e nas três semanas que se seguiram até agora, estou firme.Claro que sinto falta demais dele e da relação, mas isso é assunto pra um post.
Eu acredito também que não há uma definição nesse caso. Há de se respeitar o tempo de cada um, e é preferível que os dois mantenham um diálago civilizado e que haja honestidade e transparência nas intenções. Eu acho válido que exista essa conversa com o ex. "Eaí, como a gente vai reagir?E se eu aparecer com alguém???". Bem, se o ex era amigo e companheirão tanto o quanto o meu foi, existe essa saida.Nada de achismos, e sim, diálogo.

DanyZinha disse...

É, Ivy, mas acho que na maioria dos casos esse diálogo nao existe, pq sempre um sai mais machucado que o outro ne? Dai o um q levou o pé na bunda n ker admitir q vai se abalar, e o outro tb acaba sendo arrogante achando que tudo o q ele fizer vai ser ruim pra outra pessoa... enfim, bemmm complicado! Amiga, escreve o post, pow! sinto falta de vcs escreverem tb!
bjos