sexta-feira, 12 de março de 2010

Juventude Perdida

Gente, o fim dos tempos está próximo!
Afinal, o que você fazia quando você tinha 11 anos? Eu brincava de queimada no campinho, assistia Chiquititas e colecionava papel de carta. Pois as pessoas de 11 anos de hoje em dia vão para o Pier 21. Pros leitores do Brasil afora, é uma espécie de point aqui de Brasília. É um shopping que tem lojas e restaurantes caríssimos e uma boate da moda.

Fui ao Pier com meu namorado esses dias, apenas pra pegar um cinema, e vejam só, ficamos chocados com a quantidade de meninos e meninas no início da pré-adolescência. Mas o que nos deixou mais atordoados eram suas vestimentas, atitudes, caras e bocas. Se não fossem os dentes de leite e a falta de seios, dava pra jurar que qualquer uma daquelas ninfetas tinha 20 anos. Elas abusam do decote (um soutianzinho com enchimento pra ajudar), do salto alto, da maquiagem pesada, das bolsas de marca, do glitter. Os meninos que as acompanham tem muito menos apetrechos para disfarçar a pouca idade. Uma calça caída e um boné pra trás pra tentar tirar de playboy, mas a carinha sem espinha entrega os recém completos 11 anos. Meu primeiro beijo na boca foi com 10 anos. Bem cedo. Mas eu não perdi minha infância por causa disso. Minha mãe não me deixava me vestir que nem uma boneca de porcelana, nem sair de casa às 23h.

Esses dias também fui a uma festa de desconhecidos. Começamos a conversar sobre sexo, táticas e afins, de repente eu descobri que a menina mais velha da mesa tinha 19 anos. Elas tinham 15, 16, 17 anos com uma experiência MUITO mais vasta que a minha, do alto dos meus 23 anos. Cada frase que eu ouvia, me chocava mais um pouco e eu consegui sair de lá totalmente atordoada. Lembrei que quando eu tinha 16 anos, um beijo na boca me deixava com o frio na barriga mais intenso do mundo e um menino passar a mão na minha bunda já era way too far.

Fico impressionada e confesso que preocupada com a velocidade em que essa nova geração está vivendo as coisas. Atropelam tudo que é importante na vida! Cada fase tem sua magia e é uma pena que tudo isso esteja se perdendo.
Espero que meus filhos possam ter o que eu tive. Uma infância, uma adolescência e uma vida adulta. Tudo a seu tempo.

9 comentários:

Anônimo disse...

Legal, seu post. Bacana saber que tem gente que encara o desenvolvimento da garotada de hoje com choque! Acho que nossa geraçao foi a ultima a viver a magia de descobrir tudo ao seu tempo.
um abraço

Kérow disse...

Nossa... eu assistia caveleiros do zodiaco, thunder cat e chiquititas e ADORAVA! Tinha melissinha de várias cores e descia todos os dias pra brincar "embaixo do bloco". Se resumiam em pique-pega e pular corda. JURO POR DEUS! Nao me arrependo de jeito nenhum da minha infÂncia sem maquiagens e salto alto.

Anônimo disse...

hahaha cavaleiros é um clássico! e no meu grupinho eu interpretava o cisne, o do gelo! Mas nem sou loiro nem tenho olhos azuis hahaha
se souberem de algum blog com essas lembranças anos 80/90, repassem, os jogos/brinquedos eram massa, "lembrar é reviver"

mas é engraçado que a geração dos meus pais têm reclamações parecidas da nossa própria geração... enfim os valores vão mudando, sabe-se lá se pra onde

Anônimo disse...

cara, super concordo. meu primeiro beijo foi com 17 anos e eu não tenho vergonha disso. afinal, eu beijei tarde porque quis, porque eu quis aproveitar o que a vida tinha a me oferecer. eu via minhas amigas namorando aos 12 anos e eu pensava 'putz, pra que? tenho toda a minha vida pela frente!', aí eu me dedicava as outras coisas que eu se que me faziam sentir melhor do que um garoto faria. E quer saber? Eu aposto que a nossa geração (eu tenho 18 agora) aproveitou MUITO mais do que elas. Muito mais mesmo.

Carol disse...

Nao só a adolescencia, mas tb a infancia já tá começando errado! Dá aquela sensasao de que "pronto, nao tem mais jeito..." Assusta, pq a gente sabe que vai ser difícil quando for a nossa vez de ter filhos.

Ivy disse...

Apoiada, essa garotada tá realmente botando o carro na frente do bois... Assustador.

Conheci umas meninas de 16 e 17 também que pareciam ter 30, tanto o visual como pelo jeito de falar. Ridículo. Tudo bem que não são crianças, mas não exageremos.

Babi Freitas disse...

Eu vejo isso com meu pupilos... to numa balada mais underground do mundo, cheia de jovens (não se lê aqui adolescentes!) e encontro uma aluna de apenas 14 anos com uma latinha de antartica na mão! Oo

Tenho medo como a Carol disse: e quando forem os meus filhos?! Eu não vou admitir que minha filha de apenas 14 anos vá viver uma vida de adulto! Pra quê? Nossa vida é tão complicada... é tão melhor ver sessão da tarde comendo passatempo depois da escola!

Garanto que iniciar essa vida sexual/adulta tão jovem não vai mudar mta coisa, a gente vai é sofrer durante mais tempo com os homens, ter mais preocupações tb...

é mta cabeça vazia achando que é td na vida é usar grife, ter relações sexuais e andar feito uma boneca de porcelana, cheeeeia de maquiagem!

Aaaah que saudade de brincar de elástico debaixo do bloco! ;)

May disse...

pois é o pier realmente virou point da pirralhada, o pior nao é isso, é que eles estao perdendo a melhor fase da vida acreditando que ser adulto é ser melhor do que criança..do que ir pra rua brincar ao inves de ficar pensando em namoro ou sexo...um dia eles vao querer voltar atras....
bjus miga!

Sr. Sete disse...

ROUBEI!!!