domingo, 1 de novembro de 2009

Too many divas

Eis que ontem, para dar uma variada, a Ruiva aqui resolveu trocar de cia. Em vez da cia. nada doce, porém super agradável de minhas queridas bloguetes, saí com um trio de arrepiar: três amigos gays. Bom, não que isso seja alguma novidade pra mim, porque amigo gay é o que não me falta, mas a balada em que fomos é que foi a atração da noite. Depois de ficarmos discutindo se iríamos a uma balada hetero, gay ou "mais ou menos gay" - como disse um deles - resolvemos democratizar e cair nesta última.

Balaio Café. Já fui lá com a Loira e a Platinada para ver uma ótima banda e a balada era alternativa sim, mas não gay. Fomos conferir o que estava rolando. Ao entrar, meu amigo profere a seguinte sentença: "aqui tem mais gay do que na Blue" (a balada gay que estava entre as candidatas da noite). E de fato, lá tinham apenas 5 heteros: eu, um casal e mais duas garotas que tiravam fotos delas mesmas fazendo chão-chão-chão. Ou seja, de "mais ou menos gay" a balada não tinha nada. Era completamente gay!

O primeiro choque foi duas lésbicas se beijando e agarrando a bunda uma da outra. Para os cuecas hetero de plantão, a turn on. Para as solteiras hetero, apenas um pensamento "isso, minhas filhas, se peguem, é bom que sobra mais homem". Pois até meu amigo bissexual ficou olhando assim admirado, pois alegou estar acostumado com homens se beijando, mas mulheres não. Logo depois começou uma pegação generalizada dos homens - uns com os outros, logicamente. Era tanto desperdício, que eu evitava ficar olhando demais in order to not cry my eyes out.

E as divas?? Ah, a quantidade de diva! Tinha uma pessoa de camisa quadriculada que rebolava mais que a diva Shakira no clipe "Hips dont lie". Mas o momento da noite, foi quando o DJ soltou "Single Ladies" da também diva Beyoncé. Out of nowhere, aproximadamente 5 divas - porém gays - formaram uma linha e começaram a fazer a coreografia do clipe. PERFEITA! Todo mundo parou pra olhar e eles tiveram seus 5 minutos de fama.

É estranho quando tudo o que você está acostumado a ver, está backwards. Nenhum homem pegando na sua cintura, passando a mão no seu cabelo ou beijando uma menina de olhos abertos enquanto escaneia o resto da festa. É estranho me chocar com um casal hetero. É estranho não querer dançar rebolando para chamar atenção dos outros. Mas o que com certeza seria mais estranho, seria não estar com meus amigos me divertindo e provando que preconceito não tá com nada!

-------------------------------------------------------------------------------------------------

Dica de vídeo pra quem quer morrer de rir com divas baianas: http://www.youtube.com/watch?v=O-VEHHtmziQ

------------------------------------------------------------------------------------------------

Obrigada, leitores, pelas 1130 visitas da semana! You guys rock!

4 comentários:

Luana Polónia disse...

eu sou uma DYVAH! ahaha! Dany, vc falou e disse: preconceito não está com nada!!!! Cada tem sua opção de escolha e pq não DYVAHS fazerem sucesso!?!? mesmo que por alguns minutos! Adorei e na próxima me chama!! Atooooooooorun fstinha com as amigas! =D
Bjão!

Babi Freitas disse...

Céus! O povo só teve balada esquisita ultimamente! ADORO! hahahhaa

Viva a diversidade \o/

;)

Ivy disse...

Tá meio over essas baladas com aqueles macholinos sem classe que pegam na gente sem serem convidados de nenhuma forma!

Tô na fase descrita:nada mais digno e feliz que uma balada com amigos queridos, seja onde for!

Beijocas

Kérow disse...

Cara, é literalmente as pessoas que fazem o ambiente. Nada como bons amigos e risadas. =]]]]] Sempre tendo historias novas pra contar