domingo, 2 de agosto de 2009

Até onde vale a pena ir por uma vingança?

Eu chego lá, linda, dançando, flutuando e ele olha de cara feia pro cara que me acompanha. Passo a noite toda com o mesmo, mas sem segundas intenções, embora ele não interprete assim.

Até que um dia, chega a vingança. Ou melhor, o que ele achava ser uma vingança. E beija, assim sem mais nem menos, uma outra, na minha frente. Eu achava que ele não seria capaz disso, mas quando vejo a tal cena, meu coração dispara e prefiro ir embora a assistir mais daquela tortura "japonesa".

Então, eu espero o momento de dar o troco. As oportunidades não vêm tanto assim, pois decidi trocar de balada fixa quando terminamos, pra ajudar a esquecer. Mas as canções não mudam. E every now and then, eu lembro do quanto era bom estar no braços dele, rodopiando e olhando naqueles olhinhos apertadinhos do oriente.

Tento não pensar no quanto ele me fez bem. Procuro pensar no quanto ele me faz mal. E quero muito me vingar. Quero muito que ele me veja de verdade nos braços de outro, aos beijos com outro, e fazê-lo sentir o mesmo que ele me fez sentir naquela noite.

Mas paro, penso e me censuro. Até onde sou capaz de ir para me vingar? Vale mesmo a pena me rebaixar ao nível dele para ter 10 minutos de prazer em vê-lo se sentir facilmente substituído? Penso em me render propositalmente à lábia de qualquer um, se ele está observando. Mas ainda maior que minha sede de vingança, minha vontade de machucá-lo, é a vontade de não me importar mais com o que ele acha. É a vontade de chegar o dia em que poderei ignorar a presença ou a ausência dele. E não desejar que ele se machuque ou não. Simplesmente não desejar absolutamente nada quando se trata dele.

Não vou me desrespeitar, ficando com qualquer idiota que aparecer, só pra ele saber que eu não preciso dele. O que eu preciso é encontrar alguém que me faça sentir como ele me fez, mas que seja bem mais homem que ele foi pra assumir um sentimento e que queria continuar me fazendo sentir assim a cada dia.

6 comentários:

Ivy disse...

Dany, eu tô lutando pra sentir o mesmo. Nada!
E é nisso que temos que focar, na dormência total do coração até quando o nome dele for pronunciado!

Sorte e paciência para nós!

Babi Freitas disse...

Vingança não vale a pena, mata a alma e envenena! ;)

Bobeiras a parte, o mais dificil do "superar" é ver e não sentir mais nada! Como diria a Mart'nalia: Não quero ser seu amigo nem inimigo, NADA!

Eu não sei se é a melhor saída ficar dormente, pq sou tão mulher, eu gosto desse drama, desse sentir exacerbado mesmo que doa... acho que tem deixar rolar, pq qnd vc menos esperar tem outro gajo tomando o lugar desse.

^^'

DanyZinha disse...

e nesse dia, seremos capazes de ignora-lo!

Mari disse...

Eu tb naum estou conseguindo ignorar ¬¬

Hj rolou uma situation e parece que estou a um passo de colocar tudo pra fora e pra pessoa certa, desta vez!

Quem sabe depois, ele naum seja meu NADA?!

=*~

Braulio Filho disse...

Manual do macho moderno coment post - Vontade de se vingar é amor recolhido, se o trem passou, já era. me pergunte o telefone da minha ex-namorada: vou passar uns 10 minutos primeiro, tentando lembrar o nome dela...
ei..perai, o mundo parou, vou ali mijar no poste...homens...seres simples...
Ele não para não ó...

DanyZinha disse...

Justamente. Ninguem disse o contrario. Estamos lutando para que chegue o dia onde precisaremos nos esforçar para lembrar o nome do FDP...!
E ele nao pára msm!